Entender e participar: gravidez também é coisa de homem

shutterstock_77120734

Por Marcos Siqueira

Desde pequenos, meninos e meninas aprendem que existem coisas diferentes para cada gênero. Um exemplo clássico são as cores que representam eles e elas. Você já deve ter ouvido que azul é de menino e rosa de menina. E as brincadeiras? Bola para eles, boneca para elas… A lista é grande. O tempo passa, chega a vida adulta e o casal se une para formar uma família e ter filhos. Mas, será que se preocupar com a gravidez é coisa só de mulher?

Ouvimos histórias de homens que pensam diferente e acreditam que estar presente durante toda a gravidez e na vida dos filhos é sim, coisa de homem.

Para a psicóloga do Hospital Francisco de Assis (HFA), LaizMoulin Cypriano, a criança vem de um contexto familiar. “Mais do que só responsabilizar a mãe sobre todos os cuidados, o pai tem uma importância que é peculiar dele. Os filhos precisam da combinação do trabalho dos dois”.

O pré-natal é uma boa oportunidade para os papais assimilarem a paternidade. Para a psicóloga, “A mulher começa a construir esse vínculo a partir do momento que ela sente as alterações no próprio corpo. À medida que o homem fica perto da mulher, participa das consultas e ouve o que o médico está falando sobre a saúde do bebê, isso contribui para que ele desenvolva o sentimento de se tornar pai”.

Marcos e Josiele

Marcos Vinicius Fernandes Pinto com a esposa Josiele Gomes Loureiro a espera de Sophia. Eles foram juntos à visita das gestantes no HFA.

ELE: “O processo de gestação também é de evolução e conhecimento. Estar presente é importante para a saúde da criança. Quando o pai está junto, a mulher se sente mais segura e isso é bom para o bebê. Vou dar todo o meu carinho, amor e proteção para esse ser que vai chegar”.

ELA: “É bom para o desenvolvimento da criança o pai estar presente, para o bebê saber que é amado desde a barriga da mãe. Ele conversa com ela (Julia) e me lembra dos remédios”.

 

www.lafotocine.com

Tiago Montes e Nathalie Oliveira aguardam a chegada da Eva. Eles estão juntos no trabalho e em todas as consultas.

ELE: “Na minha criação sempre tive a imagem muito presente do meu pai, não só como aquele homem mais velho que eu devia obediência, mastambém a imagem dele sempre que possível se mostrando presente. Me espelho muito no comportamento e no compromisso que ele tem com a minha mãe. Como o trabalho físico de gerar o neném é da mulher, acredito que ela mereça mais atenção e dedicação. Por isso estou sempre presente”.

ELA:“O Tiago vai comigo em todas as consultas e procura se informar mais do que eu. Gosto da presença dele porque nessa fase ficamos mais sensíveis. Acredito que a presença dele é importante para o desenvolvimento do bebê, pois ele conversa perto da barriga e ela (Eva) responde”.

 

Aquilo Silva Lopes e Noadia Gomes Silva - opção 1

Aquilo Silva Lopes e Noadia Gomes Silva acreditam que o casal deve ajudar um ao outro. Eles esperam a vinda da filha Julia e foram juntos ao pré-natal na Casa de Saúde da Mulher.

ELE: “Com a presença do pai e da mãe a criança vai se sentir mais segura. Muitos homens acham desnecessário ir às consultas e saber o que está acontecendo, mas eu acho muito importante”.

ELA: “Meu marido está sempre preocupado e atento. Com a presença dele eu me sinto mais segura, pois ele me ajuda bastante”.

 

Pré-natal do parceiro

gravidez-semana-a-semana-4Para conscientizar os homens e prevenir doenças que podem interferir na saúde do bebê, a Prefeitura de Guarapari lançou o programa Pré-natal do parceiro, realizado nas unidades de saúde do município.A pediatra do Programa de Educação em Saúde e Mobilização Social, Neuza Marchesi Braga Mello, explicou que o programa incentiva o diagnóstico precoce e a prevenção de doenças também nos homens, que podem fazer testes rápidos para detectar HIV, sífilis, hepatite B e C, hipertensão arterial, diabetes e colesterol alto. “A ideia é que toda a família fique bem”.